E então a arte voltou…

Em Setembro de 2014, mais precisamente no dia 22 sofri um acidente de moto, machuquei a perna direita, um edema se instalou e fiquei uns meses de cama. E como não podia fazer praticamente nada me apossei dos meus caderninhos de desenho e matei o tempo com lápis e tinta. Eu me recuperava mal, e meus pais preocupados me convenceram a procurar um outro médico para tirar a prova do meu estado. Estava eu sentado na sala de espera do consultório, desenhando enquanto o tempo passava. Uma garotinha de uns 11 anos aproximadamente esticava os olhos curiosos e me observava atenta com seus grandes olhos castanhos. Percebi que seu pescoço esticava cada vez mais. Então inclinei o caderno para que ela visse melhor. Foi então que ela muito entusiasmada me perguntou: Moço, o senhor é tatuador? Fui pego de surpresa com tal pergunta e fiquei embasbacado tentando entender de onde ela havia tirado essa idéia. Respondi que não, ela disse que eu desenhava muito bem e então ela foi chamada pela secretária para ser atendida pelo médico. Nos despedimos e fiquei ali pensando sobre o assunto. Eu estava de bermuda e regata, com minhas poucas tatuagens a mostra, vai ver foi isso que a fez achar que eu poderia ser tatuador. Mas aquela pergunta ficou na minha cabeça, rodeando, rodeando. No começo daquele ano meu amigo Jeremias já tinha colocado essa idéia na minha cabeça. Em um momento oportuno eu estava em seu estúdio, junto com minha esposa que pintava o cabelo com um cabeleireiro que trabalhava lá. Jeremias trabalhava com a Talita Sakamoto, naquela época sua namorada. Ele veio como quem não quer nada me pedir um desenho, depois para tirar o decalque daquele desenho, enquanto eu fazia aquilo percebi uma movimentação estranha. Então lá de dentro ele gritou pelo meu nome e pediu para que eu levasse o decalque até ele. Cheguei na sala de tattoo achando que ele usaria em algum cliente ou coisa do tipo. Não, estava ele na maca, com a perna raspada, a Talita do lado, com as luvas nas mãos e os dois me disseram quase que em coro. Agora você vai aprender a tatuar. E com a supervisão de dois excelentes profissionais eu fiz a tattoo na perna do Jeremias. Foi uma experiência incrível. Os dois sempre me diziam, André vira tatuador, você desenha muito, vai ser dar bem. Não só ele mas outros profissionais diziam a mesma coisa. Aquilo foi germinando dentro de mim. E ouvir aquela garotinha, naquele momento, foi quase que um chamado do universo.

Eu me recuperei, passei ainda quase um ano no meu antigo emprego, comendo o pão que o diabo amassou, sofrendo a pressão de corte e demissão. Até que um dia, percebendo que não haveria uma outra saída, decidi ceder ao universo e fui procurar um curso para aprender a técnica de tatuar. E aqui estou eu hoje, com dois anos de profissão, aprimorando a cada tattoo o meu talento de desenhista. Eu decidi que a arte iria voltar na minha vida. Eu nunca deveria ter deixado ela sair de dentro de mim. Deixá-la ali tão adormecida foi trágico e triste. Mas ela está de volta. E eu tenho me fartado de desenhar. As vezes solto mais de um desenho por dia. E isso me faz muito feliz. Aos poucos vou ficando conhecido e as coisas começam a andar. Os clientes satisfeitos vão espalhando a notícia e novos sempre aparecem.

Estou muito feliz… a arte voltou.

Anúncios
Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

sozinhos

O tempo passa. As horas escorrem por entre os dedos. Nada faz sentido. Meus olhos marejados não conseguem ver nada no horizonte. Onde está todo mundo? Onde sempre estiveram. Em qualquer lugar que não por perto. Eu nunca me importei mesmo. Da mesma maneira como nunca ninguém se importou. Hoje diz que ama, amanhã já não faz mais sentido e no futuro odeia como seu pior inimigo. Ha.. ha… ha… só rindo mesmo. Tanta ilusão. Tanta coisa que não foi dita. E o nó da garganta permanence. Quem se importa? Então ouvirei das pessoas que se dizem amigos: eu me importo, você é importante! Mas onde estava você quando precisei? Me visitou? Me ligou? Me procurou? Pois bem… se isso em seu micro mundo é se importar então não nos resta mais nada a não ser lamentar.

O que eu aprendi nessa vida é que estamos sozinhos, não importa quem esteja por perto o fato é que estamos sozinhos. O amor, a compaixão mal sabemos o significado.

 

Estamos sozinhos… não existe nem pai, nem mãe, nem família. Estamos sozinhos!

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

A respeito de mim mesmo.

Eu chorei porque vi o amor, mais intenso e completo, escapar pelos vãos dos meus dedos. Eu lutei por ele, aceitei suas condições. Chorei mais vezes, estanquei as feridas. Segui adiante. Tomei decisões, fui contra tudo, fui contra meus princípios porque eu acredito nele. Mas algumas feridas não são fáceis de curar. Algumas feridas demoram a cicatrizar e requer muito cuidado. Quero curá-las, e é isto que estou fazendo. Não quero viver o resto de minha vida na escuridão de pensamentos negativos. Quero ver a luz novamente. Busco ela em seus olhos, mas as vezes eles se fecham. Eu continuo lutando, continuo lutando porque ainda acredito. Levanto a poeira para entender e acreditar mais uma vez.

Eu refleti. Eu acredito ser um bom homem. De qualidades e bons princípios. Um homem que não se compara a muitos outros que estão por aí. Eu tenho muitas qualidades, mas também tenho muitos defeitos. Em meio a reflexão, muitos dos meus defeitos eu tenho o poder de consertar, extinguir e acabar com eles de forma que as qualidades se sobreponham a eles. E minhas reflexões me ajudam a entender não só os meus defeitos mas os seus. Pois somos humanos, aprendizes do universo. E a trajetória de cada um gera experiências diferentes, únicas. Cada um usa os artifícios que acham mais adequados para escapar das adversidades. E olhando pra minha vida e ouvindo os seus relatos eu chego a conclusão de que você é como eu. Uma boa pessoa, de qualidades e princípios. Vindos de uma família bem parecida com a minha, que passaram por coisas semelhantes e chegaram até aqui, ralada, arranhada mas no caminho certo. Quem sou eu para julgar?

Eu estou triste e as vezes ainda choro. Não pelo que aconteceu, mas pelo que ando descobrindo dentro de mim. Tenho bem mais defeitos e problemas do que eu mesmo imaginava. Mas não estou aqui para reclamar deles, mas tomar providências para que eles se resolvam. Eu já errei uma vez e não quero errar mais. Quero acertar, ponderar, perdoar e seguir adiante. Quero deixar pra trás estas coisas, mas não simplesmente abandoná-las no esquecimento. Quero usá-las para aprender e não deixar que aconteçam novamente. Por isso eu levantei poeira, por isso joguei pedra no vespeiro. Para sentir a dor novamente e remediar da forma correta. Você pode estar triste e chateada comigo, porque isso dói em você. Mas dói em mim também. E sinceramente tudo que aconteceu nos últimos dias foram importantes pra mim. Finalmente esta ferida está cicatrizando de foram segura. Em breve será apenas mais uma cicatriz da batalha vencida.

Eu sei que é difícil pra você. Mas hoje meus problemas são outros. Hoje os problemas são internos e sinceramente estou conseguindo reagir. Me sinto mais confiante. O medo está passando.

Por favor me perdoe, me dê mais uma chance. Eu estou conseguindo, mas preciso do seu apoio. Sei que é difícil, mas confio no amor citado lá no começo deste texto. Se ele é forte como acredito que é, tudo vai ficar bem.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Através do espelho vejo cores… um alento para um dia perdido…

Não há problema algum em gostar das pessoas. Não há problema nenhum em continuar tratando todos com carinho e afeto. A sessão com o espelho me deixou bem claro algumas perguntas que moveram a areia no fundo do copo e hoje a água está bem turva. Eu sinto prazer em ajudar, eu me sinto bem em ser útil, em fazer alguém feliz, por menor que seja aquele momento. Isso me faz muito bem. Gosto de ser prestativo, atencioso, gosto de surpreender, de fazer rir. Eu gosto disso em mim, gosto mesmo. Refleti bastante sobre tudo isso, de fato isso não me incomoda, pelo contrário me faz bem. Mas estou esquecendo de um detalhe bem importante. Estou esquecendo de agradar, de surpreender e tratar com carinho a pessoa mais importante da minha vida. Eu mesmo!

Hoje acordei com uma outra perspectiva. Olhei bem no espelho, eu estava nu. Olhei bem para aquilo que me refletia, olhei nos meus olhos e o reflexo que eu via leu meus pensamentos e abriu um grande sorriso. Então contagiado pelo meu próprio sorriso eu também sorri e disse com carinho: Eu preciso cuidar de você.

Arrumei o meu cabelo com cuidado… escovei meus dentes com mais gentileza… preparei um bom café, pois eu adoro café. Vesti a calça que mais gosto, a bota que não tiro do pé, uma das camisetas que mais gosto e então eu olhei novamente no espelho. Me senti bem mais bonito que antes. Atraente e feliz.

É tão simples… é muito simples…

Só não posso esquecer de mim, de considerar que eu também sou alguém próximo e preciso fazê-lo se sentir bem.

Hoje entendo bem aquela frase daquela música que meu irmão escreveu… Através do espelho vejo cores, um alento para um dia perdido…

Obrigado espelho por me fazer enxergar melhor…

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

descobertas…

No momento que você parar de provar o que sabe,
vai começar a viver o desconhecido.

O traço é o resultado da combustão de sentimentos.

Uma descarga mental e psíquica do que borbulha por dentro.

Um regurgitar de sentimentos.

Um lamento dos dedos ou a euforia da alma.

Um ato sem volta.

Uma orgia de tinta, papel, astes de grafite e sentimentos.

Água, luz e pureza.

O nascimento do novo.

A abstração da expectativa.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

sem título… porque não encontrei palavras

As palavras de amor saem com mais facilidade da mente para o coração
num intercâmbio infinito. Já as palavras de tristeza encontram bloqueios
e acabam trafegando por todo corpo espalhando a dor, feito fogo.

Eu poderia mudar o passado se fosse Deus.
Eu encontraria uma maneira de mudar um passo de direção só para ver onde eu iria
chegar. Mas eu pisei na merda. E o cheiro me acompanha. E toda vez que tento
removê-lo, fede mais.

Estou pensando em desistir. Já que não posso voltar no tempo porque devo
prorrogá-lo? Porque não posso colocar o ponto final da minha vida bem no
meio da minha testa?

Será que sou covarde? Ou será que ainda tenho esperança de que algo mude ou
que o tempo clareie?

Porque a vida é assim? Porque tem sempre algo tosco para resolver? Porque
existe sempre alguém pronto para te ferir? Porque o sossego não fica mais
tempo?

Avaliando, nunca passei um tempo sem contratempo. Ele sempre está a
espreita. E me pega de surpresa. Esmaga sem piedade… dilacera.

E não há o que ser feito, não há remédio. Tentar se explicar é pior.
Tentar mostrar o outro lado, um outro ponto de vista, nem se fala.
E cada um tira sua conclusão. E ninguém está feliz.

Eu gostaria de saber lidar com tudo isso. Ser imparcial sem culpa.
Ser estratégico sem sentir remorso. Fazer o que tem que ser feito apenas
para me proteger não me importando com o que o outro está sentindo.

Mas eu não consigo… pensar no outro é o meu erro. E mesmo fazendo de
tudo para não ferir o outro ele se arranha. E um simples arranhão se torna
uma ferida mortal. Ele grita como se tivesse sido apunhalado pelas costas
e você se torna um inimigo mortal. E você não escapa do julgamento.

Maldita vida ignorante e fria… porque não varre a humanidade da face da
terra? Ser humano promíscuo… animal tecnológico sem estrutura moral… sem
uma noção mínima do amor, da caridade e da bondade.

Sabe escrever as regras mas não consegue cumprí-las. Sabe descrever como
se deve proceder para ser um homem de bem mas não o é.

Tolos…

Precisamos de mais um holocausto… um mundo sem leis. E deixe que matem
uns aos outros até que não sobre nada.

Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

mariana

zam_person

Imagem | Publicado em por | 3 Comentários